Porque Escolhi Viver de Yeonmi Park

Porque Escolhi Viver de Yeonmi Park

Assim que o livro “Porque Escolhi Viver” de Yeonmi Park foi lançado em Portugal, soube imediatamente que tinha de o ler. Em conversa com o Dallas, também ele disse que gostava de o comprar (em parte para ajudar a causa), porque talvez não conseguisse ler, por achar que o livro seria muito forte emocionalmente. Não estou com isto a dizer que eu sou mais forte do que o Dallas, apenas talvez menos suscetível, mas também extremamente sensível! O que é certo é que eu sabia que queria ler o livro.

O pré livro

Desde criança, sempre fui muito observadora; tenho curiosidade pelo comportamento humano e sempre senti uma necessidade em compreender o que as move. A maldade é também uma ação humana e para ser julgada deve ser compreendida.

Apesar de já ter um conhecimento “razoável” (na minha pequenez, sei que o meu conhecimento é sempre diminuto! Quanto mais pesquiso e estudo, mais ciente fico disso!); bem mas o que quero dizer é que por ter viajado tanto e por me envolver nas culturas, já tinha algum conhecimento da situação na Coreia do Norte.

Tive muitas colegas Sul Coreanas e simpatizava verdadeiramente com elas. Ensinaram-me muita coisa sobre a cultura delas (para além de me transmitirem a paixão por cosmética coreana). Claro que a situação na Coreia do Norte em nada se assemelha á da Coreia do Sul. Mas o conhecer a cultura, o adorar Kimchi, faz-me sentir ainda mais próxima da Yeonmi e da sua história. Para além do que me deu ferramentas para compreender certas posições e atitudes, que são justificadas culturalmente.

As Coreanas não são encorajadas nas aulas a questionar, a levantar duvidas, a interromper o professor. São educadas desde muito pequenas a respeitar enormemente os mais velhos. Alguns de nós dirão que é uma boa educação (concordo, desde que não seja abusiva); na Coreia a hierarquia (em determinadas situações) é levada ao extremo.

 

Durante a leitura

Ao longo do livro fui vivendo cada uma das situações, como se estivesse lá, imaginei cada sitio e cada lugar. Nunca estive na Coreia do Norte e não me atrevo a imaginar a dor, o sofrimento e a fome. Mas vi a injustiça na China, a forma como as pessoas são tratadas.

Conheci também muitas meninas chinesas. Ainda que sejam pessoas reservadas, eu tenho o dom de por as pessoas a falar abertamente comigo. E sim debati a cultura deles, o comunismo e até (poucas vezes) a dita lei do aborto de meninas e os orfanatos, tudo no maior secretismo.

Não me considero uma sabichona, mas sou perspicaz e interessada. Se isso me preparou para o livro? Em parte creio que sim!

Se o livro retrata uma realidade inimaginável? Sem dúvida. Se chorei em muitas frases? Chorei, o meu coração chorou, a minha alma revoltou-se e eu continuei a ler.

Desculpem se parece que estou a divagar e a filosofar, mas esta é a minha forma de vos mostrar o que senti ao ler o livro! De qualquer forma não estou a fazer uma review “típica” (mas nunca faço pois não?).

O livro

Depois de tanto bla bla bla, talvez seja conveniente fazer um resumo introdutório ao livro! Para quem não está minimamente a par!

Yeonmi Park é uma jovem Norte Coreana, que conseguiu fugir do seu país. E que nos relata a sua fuga e todos os problemas que isso acarretou. Expõe também uma realidade pouco conhecida: a vida e o dia-a-dia na Coreia do Norte.

O livro começa com uma Yeonmi criança que retrata a fome e o medo como sendo parte do dia-a-dia na Coreia do Norte. Divide-se em 3 países ou estágios na vida dela: Coreia do Norte, China e Coreia do Sul.

Á medida que o livro vai evoluindo, a realidade é nos dada a conhecer através dos olhos de Yeonmi; que passa de criança a adolescente (ainda que uma adolescente forçada) e depois a adulta (também uma adulta prematura).

A história é nos contada de forma evolutiva e tudo aos olhos de uma menina inicialmente inoncente e que vai descobrindo o mundo. Talvez seja esse o motivo porque parece de leitura fácil e envolvente; Ainda que muito emotiva.

Há um pormenor que quero muito referir (para os mais susceptiveis): o que senti ao ler o livro foi como que as cenas mais “violentas” foram encobertas com um cortinado. Isto é imaginem um filme de terror em que vêm mesmo o monstro a desmembrar a vitima; e agora imaginem outro filme onde apenas ouvem os gritos e no fim aparece a vitima no hospital. O livro é contado desta forma mais subtil e gentil para o leitor. Desenganem-se se acham que não vão retorcer-se na mesma, porque os gritos…. oh os gritos! 🙁

Porque Escolhi Viver

E pronto, é isto, não vou desvendar nada, porque a história é dela e a decisão “Porque escolhi viver” também é dela. Por isso, é Yeonmi que tem de vos contar e não eu. Mas se confiam na minha palavra, leiam! Leiam porque vale a pena. Leiam para não ficar na escuridão. Mas leiam quando estiverem certos que o vosso coração aguenta tanta maldade.

Um bem haja a Yeonmi Park por ser uma menina-mulher muito forte, e ao anjo da guarda dela, por apesar de todas as provações, a ter conduzido á liberdade e á felicidade.

Um bem haja a todas as mulheres e a todos os seres humanos,

Tiffany

Partilha:

4 Comments

  1. Anabela
    26 Julho, 2016 / 23:28

    Estou curiosa.sabes que amo ler, e este tipo livro que traduz a vida dededealguém,ainda faz mais sentido desfolhar. Poder imaginar a vida dela através de palavras, dá-nos a oportunidade de repensar na sorte que temos, nas escolhas que nos são dadas e principalmente de sermos gratos. Vou ler sem dúvida, e obrigada pela partilha tão pormenorizada e aos mesmo tempo tão própria.

    • 27 Julho, 2016 / 13:17

      É um ótimo livro, merece uma leitura atenta. Mas não é um livro que aconselho a levar para a praia ou para a esplanada! 😛
      Corres o risco de chorar baba e ranho!!!
      Beijinho e dá-nos o teu feedback quando leres! 🙂

  2. 26 Julho, 2016 / 16:06

    Mais um livro que não conheço… que vergonha =P

    • 26 Julho, 2016 / 23:05

      É mais um para a tua lista de férias! 😛

Responder a Sofia Cancelar resposta