O que ninguém te diz sobre marcas brancas

O que ninguém te diz sobre marcas brancas

Há uns dias atrás estava a falar com a minha prima sobre os produtos da Mercadona que comprei. Quem leu o post já sabe que são produtos mesmo mesmo baratos! Estamos a falar de 1 litro de shampoo a 1€! E automaticamente ela disse que não confiava em marcas brancas; “quando a esmola é grande o santo desconfia”!

Tenho de concordar um bocado com ela, mas também tenho de discordar! Todas sabemos que há produtos baratos fabulosos, tal como há produtos caros, que amaldiçoamos o dinheiro que gastamos! Então no que ficamos? O melhor é experimentar tudo? Compramos os produtos baratos e experimentamos, rezando que não nos caia o cabelo ou um braço? 😛

Acho que não… Não acham?

Marcas Brancas

Até porque algumas das ditas “marcas brancas” são fabricadas exatamente nos mesmo sítios que alguns produtos de marcas bem mais caras! Não digo com isto que o produto seja o mesmo e que apenas alterem a embalagem… (apesar de que nalguns casos, parece mesmo isso! e também devo concordar que quando pago mais, gosto de uma embalagem bem mais resistente, bonita e pratica ou seja a embalagem também conta!) Obviamente já não estou a falar de shampoos…

Alias há autênticos impérios que contém diferentes marcas para diferentes gamas e públicos-alvo!

Bem, mas deixando-nos de divagações, porque o que interessa mesmo é o produto em si! Então o que fazer? Devemos ou não desconfiar de marcas brancas ou de marcas mais acessíveis?

Honestamente eu desconfio até de marcas bem caras! Sou exigente e antes de comprar seja o que for leio o rótulo e várias reviews na net (Viva os blogues!!) 😛

Independentemente do preço ou da embalagem, o que estamos a comprar é o produto e eu quero saber os seus constituintes, as fórmulas e a tecnologia!

Apesar de ser licenciada em bioquímica, não sou expert em cosmética!

Por isso o meu conselho fundamental é leiam muito antes de comprar; informem-se sobre o produto.

Mas ler rótulos não é fácil e compreender o que faz mal ou não, muito menos. Até porque há uma série de constituintes que são cumulativos; ou seja podem não fazer mal se usados 3 ou 4 vezes, mas ao fim de 1 ano, acabam por se tornar perigosos, pois já se encontram em concentração elevada. Há quem defenda esta teoria… e depois há quem diga que não! Não vou entrar em discussões! Apenas dizer-vos qual a minha solução, porque tal como disse apesar de ter um conhecimento alargado sobre a ciência, não sou omnipresente nem sei tudo!

Então para quem não tem conhecimento ( muitas vezes até para quem tem) tudo isto é confuso e voltamos á estaca zero!

Conselho

Qual o meu conselho?

Em tudo na vida eu procuro o equilíbrio!

Sim, eu procuro ter uma alimentação cuidada, mas de vez em quando como 3 fatias de bolo (serei exagerada ou ás vezes admito a verdade?) ou ainda faço uma tarde de crepes (já vos deixei a receita)….

Então como encontrar o equilíbrio nos cosméticos?

Um dia usar shampoo caro, no outro shampoo barato; no dia seguinte sabão rosa? Sim e não!

O que vos digo é que têm de encontrar o vosso próprio equilíbrio! O que sejamos honestas, não é assim tão difícil nos dias de hoje!

Sou fiel e defendo a fidelidade em muitos campos, mas nos cosméticos não! Até porque convenhamos… de cada vez que vamos ao supermercado há uma novidade que o marketing faz questão de nos pôr a salivar, ansiosas por comprar! Ou ainda aquele shampoo que usamos no ano passado, mas que por ser carissimo acabamos por não recomprar, no entanto desta vez está em promoção! 🙂

Basicamente o meu conselho é: vão variando! As fórmulas são diferentes; as substâncias encontram-se em concentrações diferentes; portanto há uma possibilidade menor de acumularem certas substancias nocivas!

Mas se são do género mais radical: o sabão rosa está sempre lá! 🙂

Estou a brincar; e até não estou! Mas há algumas marcas que têm estes cuidados. É uma questão de procurarem a informação. Mas cuidado, também há muitas discussões sobre o que é natural afinal não é o melhor! Por isso, novamente vos digo… vão mudando periodicamente! De marca, de ingredientes, de tipo de shampoo e até de política da empresa (as “naturais” contra as “não-naturais”)\

Até a água

Acreditam que até na água eu vou mudando, todas as semanas compro uma marca diferente! Isto porquê? Pelo simples fato que diferentes marcas contêm diferentes quantidades de sais minerais! Por exemplo: eu detesto água espanhola, simplesmente porque na sua grande maioria tem uma quantidade bem mais elevada de sódio do que a água portuguesa! Por isso, o meu conselho final é: usem várias marcas, vão rodando, ou então usem uma marca, terminem e comprem outra marca diferente! E sempre que forem para Espanha aviem-se em Portugal! 😛 Mas shampoos não…que lá são mais baratos! hihi

Bem, depois de tanta conversa, que no fundo este post foi uma conversa entre amigas (mais um monologo, mas eu espero que vocês comentem e aí começa a conversa!); mas também dei uma série de dicas! 🙂 Espero que tenham gostado! Agora digam-me quantas de vocês se preocupam com este tema? Quantas lêem e relêem os rótulos? Em termos de shampoo quantas conhecem a teoria No Poo? Ou quantas não se importam e compram o produto mais barato?

Beijinhos,

Tiff

 

Partilha:

2 Comments

  1. ana Marques
    26 Outubro, 2016 / 09:19

    Olá gostei parece 1conversa! E dos conselhos tb😃
    Realmente faz td sentido. bjs

    • 26 Outubro, 2016 / 18:37

      Obrigada Ana.
      Desta vez deixei fluir os meus pensamentos e fui falando como faria com uma amiga! 🙂
      Ficou um formato diferente!
      Beijinhos

Deixa-nos o teu comentário